NOTÍCIAS
compartilhar este link
Marketing de US$ 5 milhões

07/07/2020 10:01:25
Tarifa abre disputa na Espanha

26/06/2020 10:10:33
Greening assusta Califórnia

11/02/2020 10:36:02
Bem vindo, suco de laranja

10/02/2020 10:54:48
Limão azedo na Argentina

29/01/2020 14:41:02
Notícias pelo mundo

13/12/2019 16:40:13
Notícias pelo mundo

06/12/2019 16:45:44
Notícias pelo mundo

29/11/2019 16:49:04
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
28/08/2019
Mercado de frutas cítricas da África do Sul registra alta

Fresh Plaza - 28/08/2019 - Cerca de 76% das frutas cítricas produzidas pela África do Sul são exportadas. As laranjas compõe a maior parte das exportações


A alta no setor de frutas cítricas na África do Sul constitui em uma proporção crescente do comércio internacional, segundo o relatório divulgado com as últimas perspectivas agrícolas para o período de 2018 a 2028 do Escritório de Políticas Agrícola e Alimentar do país. Uma em cada dez laranjas consumidas no mundo atualmente vem da África do Sul.

Frutas cítricas, uvas e frutas pepitas, em particular, fortaleceram sua posição de mercado na última década. A participação de mercado de frutas cítricas aumentou de 4% em 2001 para mais de 10% no ano passado, seguida pelas uvas de mesa que passaram de 5% a 7% e frutas oleaginosas de 3% a 6%.

Por conta de valor e volume, as frutas cítricas são consideradas a maior e mais importante exportação de frutas na África do Sul. O país poderá exportar 25% mais caixas do que no ano passado, segundo o relatório. Mas, para sustentar esse crescimento, serão necessários mercados novos e diversificados.

A União Europeia e o Reino Unido são, de longe, os mercados de exportação mais importantes para as frutas produzidas localmente, porém a dependência desses setores deixa a África do Sul vulnerável porque as populações em ambos crescem a menos de 1,5% ao ano. O relatório diz ainda que, a região é considerada área onde não há escassez de alimentos.

Cerca de 76% das frutas cítricas produzidas pela África do Sul são exportadas, uma variedade de 32% para a União Europeia e 10% para o Reino Unido.