NOTÍCIAS
compartilhar este link
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
20/03/2019
Produtores de vinho trocam uvas por frutas cítricas

Fresh Plaza - 20/03/2019 - Mais de 100 países receberão os produtos da África do Sul pelo segundo ano consecutivo


Na medida em que a popularidade das exportações de citros aumenta, muitos agricultores sul-africanos estão substituindo suas videiras por limoeiros, tangerinas e laranjais. Somente este ano, o país deverá exportar cerca de 137 milhões de caixas de frutas cítricas, competindo com os principais países do mundo no comércio de citros.

Mais de 100 países receberão os produtos da África do Sul pelo segundo ano consecutivo, mostrando uma tendência contínua de popularidade dos citros em todo o mundo, apesar da queda no comércio de laranjas de Valência, que formou 40% do mercado de exportação no ano passado.
Este ano, houve um grande aumento no plantio de mandarins e limões, o que elevou o percentual esperado de exportação da safra quando comparado ao ano passado. Todas as exportações sairão do país no meio de maio.

No ano passado, as exportações representaram 92% da receita total da indústria citrícola local. Devido ao sucesso da indústria no ano passado, os agricultores plantaram uma área recorde de plantações de citros.
A Espanha notou a aceitação das exportações de frutas cítricas sul-africanas. Devido as diferenças sazonais, houve uma pequena sobreposição entre as exportações cítricas sul-africanas e espanholas, isto tem crescido nos últimos anos, à medida que as exportações sul-africanas se expandiram.

As exportações da África do Sul para a China também foram contestadas depois que os agricultores locais que super forneceram o mercado com toranja no ano passado causaram uma queda nos preços.

A medida que a popularidade das frutas cítricas aumenta, os agricultores sul-africanos precisam aprender com suas experiências e trabalhar melhor no mercado, pois há espaço para crescimento em outras exportações cítricas.