NOTÍCIAS
compartilhar este link
Notícias pelo mundo

06/12/2019 16:45:44
Notícias pelo mundo

29/11/2019 16:49:04
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
15/03/2019
Uma visão global do mercado de laranja

Fresh Plaza - 15/03/2019 - Acompanhe o que está acontecendo no setor na Europa, Ásia, Oceania e América do Norte


Espanha - Os preços baixos no mercado de laranja na Espanha resultaram em uma grande quantidade de frutas deixadas nas lavouras. Os volumes são cerca de 23% superiores aos do ano passado e os tamanhos são geralmente menores. Isso, combinado com a maior concorrência de países como o Egito e a Turquia, levou os preços a não serem lucrativos.

No momento, não há demanda para variedades como a Late e a Lane Late, já que há um excesso de oferta no mercado europeu. As vendas pararam. Os comerciantes estão se concentrando em variedades como a Powell, Barsfield e Midnight. A colheita começa em maio, quando as laranjas egípcias e turcas não estão mais presentes no mercado europeu. Segundo alguns traders, a maioria dos varejistas prefere os preços das laranjas egípcias e turcas, embora reconheçam a melhor qualidade das laranjas espanholas. 
 
Itália - A colheita de laranjas sicilianas foi drasticamente reduzida, devido às chuvas e inundações ocorridas em outubro e novembro de 2018. Segundo um gerente de exportação, o mercado para as frutas Tarocco siciliano segue seu próprio caminho. “Este ano, os volumes limitados nas prateleiras e a presença abundante de produtos espanhóis baratos no mercado europeu tiveram uma grande influência nas escolhas dos consumidores”, relata.

A concorrência tem sido forte no Reino Unido, principalmente graças à taxa de câmbio desfavorável da qual o produto espanhol se beneficiou. Ao longo da temporada, os produtores da Sicília enfrentam desafio de entregar constantemente volumes para garantir que o produto permaneça nas prateleiras dos supermercados europeus. Apesar dos volumes baixos de produção, a temporada está indo bem. A campanha deve durar até o final de abril, terminando um mês antes do que nos anos anteriores.

A exportação foi recentemente um grande tópico de conversação no setor cítrico italiano. Isso se deve em parte ao início das relações comerciais com a China. Vários contêineres já foram enviados para a China e mais volumes poderão seguir, também de avião, graças à aprovação bilateral dos protocolos fitossanitários.
 
Alemanha - Enquanto o volume de laranjas Navelinas espanholas diminui consideravelmente nas últimas semanas, a Lane Late está no mercado em grandes volumes. O umbigo espanhol, o navelate e o salustiana também desempenham um papel relevante no atual mercado atacadista. A demanda por variedades turcas e marroquinas, no entanto, caiu devido à sua baixa qualidade. 

As frutas cítricas do Egito também estão gradualmente entrando no mercado atacadista alemão por conta dos preços, que estão relativamente baixos. No caso das laranjas orgânicas, Itália e Grécia são as que determinam a oferta. A Sicília na Itália está fornecendo atualmente uma nova variedade no sul da Alemanha, a Fischer Navel. 

Já a Grécia está passando por uma temporada difícil, com baixos volumes devido ao clima ruim entre janeiro e fevereiro. Embora a Itália quase não seja mencionada quando se trata de laranjas normais, as laranjas “de sangue” das áreas de cultivo italianas são particularmente procuradas. Variedades como Moro e Tarocco são comercializadas em grandes volumes, assim como as laranjas espanholas e marroquinas (Sanguinelli). A variedade “Cara Cara” também merece destaque, especialmente porque esse cruzamento entre laranjas regulares e sanguíneas está ganhando terreno no mercado atacadista alemão.
 
Estados Unidos – De acordo com produtores da Califórnia, ‘há uma oferta acima da média no momento, mas os tamanhos dos frutos são muito menores do que o normal’. Isso porque choveu muito na Califórnia e houve também mais geadas do que o habitual.  Agora, resta saber como a colheita será afetada. “O clima extremo pode ter afetado a colheita. Isso poderia nos levar de volta a uma posição normal de oferta de demanda.” O mau tempo na América do Norte não apenas influencia a colheita, mas também o consumo. “Os consumidores pensam agora em sopa e não em laranjas. Felizmente, a demanda é satisfatória nos mercados local e de exportação. O produtor também diz que na Flórida, a maior parte da colheita consiste de suco de laranja, e que há preocupações sobre a qualidade da colheita mexicana.
 
Austrália - A organização de produtores australianos ‘Hort Innovation’ anunciou recentemente os números correspondentes à safra anterior de laranja, que chegou ao fim em junho de 2018:  foram colhidas mais de 12,8 milhões de caixas de 40,8 quilos, um aumento de 4% em relação ao ano anterior. Ao mesmo tempo, o valor total da colheita aumentou em 12%, subindo para US$ 373 milhões. O volume de exportação aumentou para 190 mil toneladas e seu valor cresceu 25%. Em todo o país, as laranjas foram o terceiro maior produto de exportação para a agricultura australiana, atrás apenas de amêndoas e uvas de mesa.
 
China - Os produtores chineses estão no meio da safra. Em fevereiro, algumas áreas de produção de laranja na China sofreram com baixas temperaturas, chuva e neve, mas isso não teve muito impacto na produção. A temporada de laranja de Shatang agora acabou, o que significa que o preço das laranjas de Orah está um pouco mais alto novamente. A oferta de laranja ainda é alta, porque muito também é importado, principalmente da Espanha, do Egito e dos EUA. Apesar das tarifas impostas às laranjas dos EUA, a importação continua, embora em menor escala do que nos anos anteriores.

A demanda por laranjas sanguíneas é alta neste ano, e os preços são bons. A qualidade é melhor que no ano passado. Os mandarins também estão indo bem no mercado e no momento são supridos principalmente por laranjas Sichuan.